sexta-feira, 4 de dezembro de 2015

Vênus em Escorpião

Fonte
Vênus é o planeta que exprime os setores prazerosos e amorosos da vida, como: relacionamentos, afetividade, amor, harmonia, casamento, beleza, beijos, abraços, sexualidade, companheirismo, parcerias, prazeres sensoriais, aromas, perfumes, dinheiro. O signo e a casa onde temos Vênus no mapa natal, portanto, demonstra como vivenciamos essas questões. Os domicílios de Vênus se encontram nos signos de Touro e Libra; são, portanto, os signos em que esses aspectos se expressam de maneira mais tranquila e equilibrada. Vênus está exilada, entretanto, nos signos de Áries e Escorpião, ou seja, esses são signos em que ela não se expressa em sua plenitude.

Sendo a natureza venusina voltada ao amor, prazer e à harmonia, temos, a partir de hoje, um desafio a mais nesses assuntos. O planeta ingressa no signo de Escorpião, justamente um dos quais o deixa desconfortável. Escorpião é um signo do elemento água, bastante emocional e que busca a profundidade e a intensidade para lidar com a vida. Vênus é tranquila, precisa de leveza para que o amor seja pleno, mas agora, o amor se expressa de maneira escorpiana: com possessividade, necessidade de vínculo pactual para se entregar de verdade, e também com bastante possessividade. A harmonia venusina está encontrando a visceralidade escorpiana.

Uma das consequências é uma autoestima que se fragiliza, que precisa do retorno do outro com obsessão, pois ao não ver o belo em si, precisa que o outro o faça. Desconfiando constantemente, precisa de provas e expressões claras de amor e carinho, provas que parecem nunca ser suficientes, causando situações desagradáveis nas relações afetivas. Os aprendizados de agora envolvem: aprender a amar-se antes de exigir que o outro te ame; ame o outro mesmo que tenha a impressão de que ele não te ama na mesma intensidade ou com a mesma dedicação devocional. O amor é para ser harmonioso e alegre, não um dever.

Até dia 30/12, vamos buscar equilibrar a intensidade com a harmonia, priorizando o autocontrole sobre o controle que às vezes tentamos ter sobre os outros.