domingo, 20 de março de 2016

Feliz Ano Novo!

(Fonte)
Este é o início de um novo ciclo de um ano. Este é o momento em que o Sol ingressa o signo de Áries. O arquétipo da primavera, do despontar da primeira flor enquanto a neve derrete, o impulso de vida renascendo depois de um longo inverno.

A disciplina e o esforço se tornam primordiais este ano. Não haverá a mais remota possibilidade de crescimento caso não haja trabalho árduo e planejamento cuidadoso. Antes do sonho deve vir a realidade, ou então qualquer objetivo morrerá antes de nascer. Os planos precisam ser detalhados, mas ainda assim devem ser flexíveis, pois tudo pode mudar a qualquer momento. Saturno em Sagitário quadra com exatidão Júpiter retrógrado em Virgem. Essa é também uma oportunidade de rever tudo em que você acreditava, antes que o mundo real e material mostre de maneira cruel que você estava acreditando em uma mentira.

As revisões e transformações em relação às crenças e à filosofia de vida podem se tornar inevitáveis, agora. E é ótimo que elas sejam intencionais e intensas. O mundo de repente se mostra outro, não porque ele mudou, mas porque só agora somos capazes de enxergá-lo como ele realmente é. Sempre há diferenças contrastadas por vários filtros de percepção entre o que é real e o que experienciamos da realidade. Ver tudo duma perspectiva mais próxima da real pode mudar cada um de nós por dentro. Para isso, é urgente se livrar de quaisquer medos. Que as estruturas sejam abaladas. Plutão em Capricórnio trígono Júpiter em Virgem.

Idealizações e ilusões permeiam os relacionamentos afetivos, com a conjunção de Vênus a Netuno no signo de Peixes. Eles se tornam mais difíceis de compreender, enquanto a capacidade de doação e entrega total é necessária para lidar bem com esse desafio. Qualquer expectativa desenvolvida resultará em frustração, pois elas serão muito mais altas do que é possível se cumprir. Tudo ou nada, oito ou oitenta; a tendência é exagerar nos assuntos amorosos, se jogando de corpo e alma. Se for para ser assim, que seja com a consciência de que não é possível enxergar completamente a situação de imediato.

As estruturas continuam sendo abaladas, e mais do que nunca é preciso começar a construir novas, à medida em que o entulho é removido. Energia há de sobra para que haja o primeiro passo em direção ao novo. As transformações não são simples nem instantâneas, e por isso mesmo nos será cobrado trabalho árduo e constante. Quando as mudanças começam de dentro em direção ao externo, o caos é criativo e produtivo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário